Novo AGULHA BIÓPSIA ASPIRATIVA

AGULHA BIÓPSIA ASPIRATIVA

Produto novo

A Agulha Aspirativa é uma agulha de biópsia que em como finalidade obtenção de células de órgãos, tecidos e líquidos (como linfonodos, tireoide, mama, vilosidade coriônica, amniocentese e outros tecidos moles) para pesquisa de neoplasias ou processos inflamatórios.

Mais detalhes

Mais informações

AGULHA BIÓPSIA ASPIRATIVA - Trammit Medical

Agulha Aspirativa Trammit é uma agulha de biópsia que em como finalidade obtenção de células de órgãos, tecidos e líquidos (como linfonodos, tireoide, mama, vilosidade coriônica, amniocentese e outros tecidos moles) para pesquisa de neoplasias ou processos inflamatórios.

Esta agulha não deve ser utilizada em nenhuma hipótese em biópsia de tecido ósseo. Apresentação: Depositada em papel grau cirúrgico (embalagem primária), a Agulha Aspirativa é apresentada em caixa cartonada (embalagem secundária) contendo de 1 a 50 unidades por caixa.

Informações técnicas:

A Agulha Aspirativa tem sua estrutura metálica, sendo a parte externa chamada de tubo capilar ou cânula e sua parte interna chamada de arame ou mandril em aço inoxidável A.I.S.I 304 - NORMA ASTM 304 e a estrutura plástica do arame é produzida em ABS (acrilonitrila butadieno estireno) - ASTM D3965-04 e a estrutura plástica do tubo em resina-K KR03.

Sua cânula possui marcação centimetrada, sendo possível sua visualização em equipamento de imagem (raio-X ou ultrassom). Segue abaixo modelos e tamanhos de cada agulha. As cores apresentadas são meramente ilustrativas


Tabela comparativa:

Item                                   Gauge                                        Comprimento

Modelo AAC 18, 19, 20, 21, 22, 23 e 25 G      -   4, 7, 9, 10, 11, 15, 17,20, 25, 30, 35, 45 e 75 cm

O que é biópsia aspirativa?

A biópsia aspirativa é um exame feito por meio de uma agulha de fino calibre (21 a 25), de modo a obter amostras de tecido e líquido a partir das lesões sólidas ou císticas. Por ter caráter ambulatorial, ou seja, pode ser feito em clínicas e consultórios, a biópsia aspirativa dispensa anestesia. No entanto, pode ser utilizada pomada anestésica na região, evitando maiores desconfortos para o paciente, e permitindo que ele possa realizar suas atividades logo após o exame.

Esse tipo de procedimento faz parte de um grupo de diferentes métodos de diagnóstico de massas e tumores. Outro método muito usado é a biópsia com agulha grossa. Ambas biópsias podem ser feitas com auxílio de ultrassom, ou mesmo sem guia, quando as lesões são palpáveis facilmente.

Órgãos indicados para realização da biópsia aspirativa

A biópsia aspirativa oferece muitas vantagens. Por esse motivo, é uma das opções mais populares para diagnóstico e tratamento de tumores e lesões. A seguir, conheça os principais órgãos superficiais para os quais a biópsia aspirativa é mais indicada.

Tireoide

Na tireoide, a punção de linfonodos cervicais é realizado com frequência para avaliação de nódulos e diagnóstico de metástases em carcinomas da tireoide previamente diagnosticados. Nesses casos, também é feita a dosagem de tireoglobulina e calcitonina a partir do material coletado. 

Paratireoides

Para pacientes com quadros de hiperparatireoidismo, a biópsia aspirativa é feita para a dosagem de PTH (paratormônio), hormônio produzido nas glândulas, a partir do material aspirado.

Glândulas salivares

A biópsia aspirativa é usada para avaliação pré-operatória de tumores em pescoço e cabeça. O procedimento conta com alta sensibilidade para diagnosticar lesões em glândulas salivares, oferecendo informações fundamentais para o diagnóstico pré-operatório.

Massas mamárias

A biópsia aspirativa é indicada para avaliação de massas mamárias sólidas ou císticas. Desse modo, ao apresentar anormalidades mamográficas ou lesões palpáveis, o exame é utilizado para diagnóstico.

Contudo, a biópsia é controversa para identificação de suspeitas de lesões malignas devido à quantidade relativamente pequena de tecido mamário da amostra e à alta taxa de amostras inadequadas. Em casos como esse, é realizado o triplo teste: exame físico, estudos de imagem e resultado citológico para que o diagnóstico seja preciso.

Qual a diferença entre biópsia e punção (PAAF) de linfonodo?

Na prática médica, a biópsia é um exame mais comum do que se imagina. Apesar de ser um procedimento invasivo, geralmente exige apenas anestesia local. É um procedimento no qual se colhem algumas células ou um pequeno fragmento de tecido orgânico para determinação de um diagnóstico. Também podem ser examinados líquidos, secreções e outros materiais orgânicos variados. O material recolhido é submetido a um estudo em laboratório, visando determinar a natureza e o grau da situação estudada.

A análise deste material é uma parte importante do processo da investigação médica, que possibilita o diagnóstico, a confirmação ou a exclusão da existência de doenças. Ela também fornece informações que contribuem para a escolha do tratamento adequado, uma vez que o exame pode indicar tanto o tipo quanto grau de uma possível doença.

Já na punção de linfonodo, o médico utiliza uma agulha fina para conduzir a retirada de uma amostra de células do linfonodo inchado. Após a coleta, o material é colocado em lâminas especiais para análise histopatológica e emissão de laudo de acordo com as alterações encontradas no exame.

Qual o preparo para uma punção de linfonodo?

A punção do linfonodo exige alguns preparos. Inicialmente, o médico responsável pelo procedimento deve ter conhecimento sobre os medicamentos utilizados pelo paciente, incluindo aqueles sem receita médica e suplementos vitamínicos.

É importante também que o profissional saiba sobre possível gestação, além de alergias medicamentosas ou a produtos, como látex, assim como alterações de coagulação. Certos medicamentos, como anticoagulantes, antiagregantes plaquetários, e anti-inflamatórios, podem exigir a suspensão por alguns dias antes da biópsia aspirativa de linfonodo, visto que podem facilitar sangramento após o exame. 

Qual o tempo para obtenção do resultado?

Existem situações em que o tempo de entrega do resultado da biópsia pode ser prolongado para melhor estudo do caso, utilização de técnicas mais refinadas, ou mesmo consultas a outros especialistas da área para se chegar a um diagnóstico mais preciso. 

Além disso, por existir diversos tipos de biópsia, é importante que a biópsia aspirativa seja feita em uma clínica de confiança, com profissionais competentes, pois somente eles poderão definir quando realizar uma biópsia e qual o melhor procedimento a ser feito.

Se você busca uma clínica especializada, com profissionais qualificados e atendimento humanizado para este ou outro exame de imagem, entre em contato com a Clínica CEU. Estamos prontos para atendê-lo da melhor forma!

30 outros produtos na mesma categoria: